LIDERANÇAS PARA 2020

Quem declarar saber analisar por inteiro os dias futuros do mundo, precisa ser rapidamente submetido a uma terapia de enxergamento social. Os tempos de agora estão a exigir um enxergar muito mais profundo que o apenas ver. E lideranças que saibam apreender bem mais além do que o apenas comandar.
A mutabilidade dos cenários mundiais está cada vez mais veloz. Pela primeira vez, na História da Humanidade, toma-se conhecimento ao vivo, a cores e a qualquer instante, da lenta agonia de determinados regimes autoritários, não sendo surpresa para ninguém se os atuais ambientes ditos concessionários encontrarem brevemente seus brexits libertários.
O mais inquietante para nós é que enquanto tudo está mudando velozmente, para muitos, inclusive cristãos de todas as denominações, o agora parece continuar como dantes, mesmo que Abrantes não encontre mais o caminho do seu quartel. Nos tempos atuais, essencialmente tríbios, segundo o notável sociólogo Gilberto Freyre – passado, presente e futuro com características fenomenológicas atuando num simultâneo agora -, as lideranças que se pretendem efetivas devem equilibrar saudavelmente a fé em Deus e um participativo planejamento estratégico, evitando desânimos viróticos, sabendo lucidamente lidar com críticas corretivas e algumas opiniões até injustas.
Diante do volume desabrido de textos de auto-ajuda que entulham as prateleiras das livrarias, de conteúdo picaretal a grande maioria deles, bom seria se todos aqueles que buscam renovar suas estratégias de bom caminhar se aprofundassem num livro escrito lá pelos anos 425 a.C. , por um homem de negócio e de política do Oriente Médio chamado Neemias. Que se preparava, quando do enfrentamento de novos desafios, sob quatro balizamentos: que a mudança do coração é especialidade de Deus; que orar e esperar andam sempre de mãos dadas; que fé não é sinônimo de desordem nem substituta de planejamento cuidadoso; e que deve-se esperar sempre uma oposição quando a vontade de Deus está sendo concretizada.
Segundo Neemias, todo discernimento leva tempo, advindo de sucessivas abduções (intuições que ocorrem em continuadas etapas) e das inspirações amparadas pelas graças do Altíssimo e seus Espíritos Superiores. Discernimentos que exigem pessoas certas nos lugares apropriados, tempo para reflexões conjuntas e muita fraternidade sem abobamentos anestésicos, tampouco arroubos de valentia.
O mundo inteiro, nas conjunturas futuras sob novos comandos, sofrerá solavancos os mais diferenciados. Em todas as regiões planetárias, as prioridades serão revistas, as capacitações aprimoradas, o serviço público mais confiável através de procedimentos mais convincentes e os pretensos autoritarismos sempre estarão subordinado a uma colegialidade sinceramente democrática, por todos assimiladas as orientações advindas dos patamares superiores.
No mais, que seja ampliado o saber de cristãmente saber fazer a hora, nunca esperando acontecer, posto que sem a caridade jamais haverá a salvação.
Um 2020 arretado de ótimo para todos nós !!