NPD 102. RECOMENDAÇÃO URGENTE PARA UM PÓS COVID-19 CONSEQUENTE


Esta pandemia, que está vitimando inúmeros e desorientando muitas dezenas de milhões, nos quatro cantos do mundo, está acontecendo para reflexões alicerçais e criatividades empreendedoras em todos os setores sociais, sem hipocrisias e moralismos:
“Um sistema que sabe produzir, mas não sabe distribuir, é tão funcional quanto a metade de uma roda”. (Ladislau Dowbor, escritor)
“Aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e fará maiores obras do que estas.” (Jo 14,12)
E uma constatação já se acentuava antes da eclosão da COVID-19: a educação mundial se encontra em xeque.
Não há receitas milagrosas, embora existam estratégias reestruturadoras que urgem ser meditadas e debatidas nos quatro cantos do planeta. Recomendaria, no Brasil, a leitura amplamente debatida, com seriedade, postura ética e senso de efetividade política, de um livro de poucas páginas e intensa sabedoria, escrito por um catarinense de Tubarão, Huberto Rohden (1893-1987), cuja preocupação existencial mais evidenciada explicitou-se em estudos voltados para os campos da Ética e da Pedagogia.
Ei-la:
Educação do Homem Integral, Huberto Rohden, São Paulo, Editora Martin Claret, 2009, 140 p.
Alguns extratos:
“Não é possível reestruturar a nossa pedagogia sem dar à educação pelo menos o mesmo valor que a instrução reclama para si.”
“O homem da realização existencial é sempre feliz, mesmo sem o gozo do sucesso social.”
“Toda e qualquer felicidade verdadeira do homem depende da visão panorâmica que ele tenha da sua existência total.”
“O ideal seria que um homem tivesse 100% de instrução e 100% de educação, que fosse mestre em ciência e mestre na consciência. Os poderes públicos de todos os países insistem muito em instrução e pouco em educação.”
“O home profano só se interessa pelas periferias. O homem místico isola-se no centro. O homem cósmico, que é o home integral, firma-se no centro, e desta base parte rumo às periferias, plenificando-as com a luz e força do centro.”
“O agir interesseiro não pode ser abolido pelo simples agir, nem pelo não-agir, mas tem de ser neutralizado por um agir desinteressado.”
“A tragicidade do existir e agir não pode ser solucionada por nenhum conformismo, nem por algum escapismo, mas unicamente por um transformismo.
Os responsáveis pela educação brasileira, em todos os setores, estão lendo pouco, se tecnologizando cada vez mais, eivando-se de burocratismos inconsequentes e desnecessários, menosprezando a consolidação de um humanismo indispensável para os amanhãs planetários eticamente solidários.
REVOLUCIONEMO-NOS, LENDO MAIS PARA SERMOS MAIS, SOBREVIVENDO MAIS !!