NPD 084. METÁFORA DE UM MÍSTICO:


“Eles desperdiçam seu nascimento em ismos”.
Era um protesto de um poeta indiano místico chamado Bhagat KABIR Yi (1440-1518), também filósofo, escritor e tecelão. Ele protestava contra a poluição causada pelas religiões, afiliações políticas, ideologias, espiritualidades e identidades forjadas por marqueteiros das piores espécies, que se postam radicalmente contra a Verdade, iludindo os mentalmente despreparados para os tempos de múltiplos desafios como os atuais.
Um professor de comunidades, nos EEUU, humanista premiado, escreveu textos sob lema “Como a filosofia pode salvar sua vida”, sempre a recolocando no seus devido lugar, favorecendo uma melhor compreensão de todos sobre filosofia, felicidade, conhecimento de Deus, natureza do bem e do mal e a coisa mais bonita do mundo, possibilitando a ampliação de uma sadia enxergância do interior provisório de cada um de nós, aplanando caminhadas terrestres na direção da Luz.
O livro? A filosofia da vida cotidiana: uma introdução simples aos grandes temas filosóficos, Scott Samuelson, Rio de Janeiro, Zahar, 2020, 270 p.
Para quem deseja ver analisada a condição humana, desabestalhando-se integralmente, eis uma leitura que binoculiza amanhãs existenciais mais solidários, pessoal e profissionalmente.
Uma leitura necessária para todos aqueles que buscam aplaudir por convicção a reflexão de Baruch Spinoza (1632-1677) em seu livro Ética: “Um homem livre é aquele que vive sob os ditames da razão, não se conduz pelo medo; em vez disso, deseja seguir diretamente o bem.”