NPD 073. PARABÉNS GRANDÃO E UNS SIMPLES PITACOS


Estou radicalmente convencido da razão plena que tinha Gunnar Myrdal, famoso economista sueco, autor do clássico Teoria Econômica e Regiões Subdesenvolvidas, editado pelo ISEB – Instituto Superior de Estudos Brasileiros em 1960: “o pior subdesenvolvimento é o mental”. Um texto muito pouco apreendido pelos economínimos contemporâneos, onde o notável Myrdal já alertava para algumas constatações:
“Há um pequeno grupo de países prósperos e um grupo muito grande de países extremamente pobres”.
– “Em geral, os países do primeiro grupo se encontram em processo de desenvolvimento econômico contínuo, enquanto no segundo o progresso médio é mais lento, uma vez que muitos países estão sob ameaça permanente de não poderem sair da estagnação e até mesmo retrogradarem.”
E alertava para os problemas políticos que também estavam emergindo à época:
– “Os povos dos países subdesenvolvidos estão cada vez mais conscientes dessas enormes desigualdades internacionais e do perigo de que continuem a aumentar.”
– “Esses povos e seus porta-vozes tendem a atribuir parte da responsabilidade por sua pobreza ao resto do mundo e, em especial, aos países prósperos, ou melhor, atribuem as desigualdades ao sistema econômico mundial que os mantêm tão pobres, enquanto outras nações são tão ricas e se tornam cada vez mais ricas.”
Parabenizando o MUDA PERNAMBUCO, recentemente sob nova direção, ressalto a urgente necessidade de uma baita reestruturação estratégica comportamental e cognitiva dos nossos líderes estaduais, políticos e empresariais, pugnando, até por instinto de sobrevivência, por uma efetiva dinamização dos nossos diversos níveis educacionais, favorecendo um pensar pós pandemia mais consistente, capaz de superar os inúmeros desafios já emergidos numa época de inovações tecnológicas sem precedentes e de uma ampliação gigantesca dos canais de comunicação, tudo sendo rapidamente ultrapassado por novas invenções criativas a cada dia.
Encareço ao MUDA PERNAMBUCO uma iniciativa que muito possibilitará a ampliação das nossas enxergâncias binoculizadoras: a leitura, com posteriores debates sem fingimentos nem populismos desvairados, do livro Elástico, de Leonard Mlodinow, editado o ano passado, 2019, pela Zahar, Rio de Janeiro, pouco mais de trezentas páginas, livro de bolso indispensável para um efetivo atendimento das atuais reestruturações estaduais.
Alguns perigos, entretanto, necessitam ser evitados nas iniciativas do MUDA PERNAMBUCO:
a. O imediatismo eleitoreiro.
b. A contemplação empresarial dos próprios umbigos e o oportunismo político dos desvairados.
c. As aversões às mudanças sociais e comunitárias.
d. Impulsividades entusiásticas para efeito apenas e televisionamento.
e. Os pensamentos nostálgicos de ontens que não mais voltarão.
f. As aderências fingidas.
g. As hierarquizações descerebradas.
h. As avaliações para “inglês ver”.
i. As inércias comportamentais.
j. Os informes destrututivos, fuxicosos e babaovistas.
k. O menosprezo pelos dissensos crítico-construtivos.
l. Obsessão exclusiva pelos resultados do Caixa.
m. Os conselhos pessimistas dos chapados.
n. As assessorias vigarísticas de donos da verdade.
o. As desacreditações de que “os caminhos se fazem andando, posto que os amanhãs serão outros dias”.
p.. Cuidados redobrados para com os que imaginam que o Leão do Norte está velho, cansado, castrado, banguela e sem rabo.