NPD 034. DIFERENÇA FUNDAMENTAL ENTRE JORNALISTA X JORNALISTRA


Na primeira categoria se enquadram aqueles que se portam com dignidade, competência, independência analítica e trato ético com companheiros de trabalho e de comunidade, sempre se pautando pela cordialidade e ojeriza aos sectarismos, bajulismos e “recuerdos” financeiros ilegítimos de diversos calibres.
Jornalistra, pelo contrário, zebra juramentada pelos derredores frequentados, abjura a dignidade da categoria para favorecer oportunistas ou possuidores de desclassificações profissionais nada condizentes com as exigências do mundo contemporâneo.
Diferenciando bem a dicotomia acima, todos saberemos separar os ratos e os homens na mídia brasileira, paulofreireanamente distinguindo um copo meio cheio de um copo meio vazio, assimilando sadiamente as compreensões dos erros do passado para evitar a reprodução deles no atual instante brasileiro, quando se está a exigir dos governantes mais ação e menos falação, mais respeito pelas diversidades e menos “amarguras egocêntricas” (Hannah Arendt), característica dos robotizados que integram movimentos de vocação fascista, ressentidos por não mais testemunharem assassinatos “holocáusticos” e fantasiosas maquinações dos integralismos políticos e integrismos religiosos fanáticos, alicerces primeiros de projetos de poder que tentam cristalizar o status quo, desfavorecendo a participação dos menos favorecidos.