facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
PREMIAÇÃO CONSAGRADORA
 Fernando Antônio Gonçalves
A notícia que testemunhei pelas infovias deve ter deixado Pernambuco inteiro mais orgulhoso ainda. A revista ARGUMENTO, editada pelo Tribunal Regional Federal da 5ª. Região – TRF5, foi vencedora do XI Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, categoria Revista, quando da realização do IX Congresso Brasileiro dos Assessores de Comunicação da Justiça – Conbrascom 2013, acontecido em outubro próximo passado, em São Paulo. Mérito atribuído à competente jornalista Isabelle Câmara DRT/PE 2528 e talentosa equipe, produtora de uma revista plural, nunca exclusiva do ramo do Direito, fonte de leituras múltiplas, sem pedanteria nem juridiquês, proporcionando um relacionamento que fortalece a cidadania pernambucana e a nacional.

E os aplausos são amplamente ratificados quando se manuseia ARGUMENTO edição nº 5 – outubro/dezembro 2013, com uma oportuníssima apresentação da editora Isabella Câmara, relembrando o notável livro 1984, do escritor George Orwell, distopia futurista escrito em 1949, tornado um dos romances mais influentes do século XX, clássico moderno para reflexões e inferências múltiplas sobre os amanhãs planetários cada vez mais imprevisíveis, a nada favorecer o meio ambiente.

Da ARGUMENTO nº 5, alguns textos muito me sensibilizaram. O primeiro deles, de autoria de Josie Marja, foi explicitado sob título Humanos Direitos: “em pleno século XXI, situações trabalhistas que remetem ao século XIX ainda são comuns no Brasil”. E ela também anuncia a disponibilização, em download, do livro didático Escravo nem pensar, no site do Repórter Brasil. Com exemplar coragem cidadã, a jornalista Josie Marja não deixa por menos: “dados do Ministério Público do Trabalho (MPT) revelam um novo perfil da escravidão: a precarização das relações de trabalho em novas atividades, como em obras da construção civil”. Segundo ela, a situação, antes encontrada no campo, ganhou nova dimensão e já atinge setores nas áreas urbanas, conforme denuncia o MPT – Ministério Público do Trabalho.

O perfil feito da desembargadora Margarida Cantarelli, amiga contemporânea da Universidade Católica de Pernambuco, expõe o seu muito digno caráter profissional e pessoal, exemplo para gerações dos amanhãs jurídicos maurícios. Parabenizo os netos da Margarida: em 2014 terão mais tempo livre para com ela, aprendendo história e literatura e ações de empreendedorismo social. E eu me congratulo com o TRF5 por ter convivido com uma personalidade inesquecível, íntegrada ao extremo e antenada com as voltas que o mundo vem proporcionando.

Mas a saudade aflorou de mesmo ao deparar-me na última página com o poema Nauta no Tempo ou Canção do Exílio, do meu eternizado amigo Petrúcio Ferreira, integridade acima de qualquer suspeita. Permitam-me reproduzir o seu final: “Sou um nauta / tangido de muitos mares, / soprado por muitos ventos, / singrando na direção da terra prometida / em busca do Porto-do-Sem-Fim. / E nas noites da vida / sou guiado pela luz cintilante e azul / da grande e linda Estrela-Amor”.

ARGUMENTO, revista para ser lida, relida, apreendidas suas lições.
(Publicada em 25.11.2013, no Jornal da Besta Fubana, Recife, Pernambuco)
Fernando Antônio Gonçalves
 
 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA