facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
PANFLETAGEM DO JOÃO
Todo serelepe, o João Silvino da Conceição distribuía, entre lapadas e uns croquetes feitos pela vovó Trudinha, organizadora de um forró junino pra lá de muito arretado, umas considerações filosofais de como melhor viver o segundo semestre de 2011. E ele não cabia em si de contente pelo atual nível de desenvolvimento estadual, apregoando suas considerações para um derredor que não desgrudava os olhos do seu modo de apresentar os fatos e os dados.

Eis as recomendações do Silvino, pernambucano pra ninguém botar defeito: 1. Nem sempre uma pessoa de posses tem classe. Um ser humano de classe é aquele que sabe se portar, sejam quais forem os ambientes e  derredores frequentados; 2. Gostar sempre do que se faz, melhorando o desempenho pessoal e profissional a cada novo amanhecer, o mais-ou-menos devendo ser considerado veneno mortal; 3. Evitar bajulações, posturas de quem nem tem segurança nem competência. Todo babão é inseguro no lugar que está ocupando. 4. Relógio, colar e brinco bem discretos são sinais de requinte e bom gosto, tatuagem somente acontecendo nas bochechas da bunda, para curtição pessoal ou dos parceiros de cama e banho; 5. Ter cuidado ao  falar ao telefone, inclusive celular, que pode revelar baita cafonice, se utilizado inconvenientemente. 6. Falar de intimidades junto a pessoas com quem trabalha é deselegante, além de muito desastroso, na grande maioria das vezes. 7. Nunca ter receio de fazer e errar, posto que só se cresce através de erros e acertos; 8. Estar sempre sem medo, preparado para as mudanças, com a segurança de classificar como ridículos todos os ontens que tentam retornar tal e qual; 9. Saber bem diferenciar o que é importante do que é urgente, escolhendo a mais oportuna das alternativas; 10. Externar  sempre simpatias autênticas, sem afetações idióticas nem bajulismos que provocam comiserações; 11. Ser pontual, a marca do respeitador dos compromissos assumidos; 12. Transmitir empatia sem histrionices emocionais; 13. Estar preparado para o inesperado, jamais esquecendo de que todo bom amanhecer vem sempre depois da escuridão; 14. Perceber-se sobrepairando acima das mediocridades, lembrando-se que não se deve jamais atirar pérolas aos porcos; 15. Acordar diariamente filho amado da Criação, possuindo uma espiritualidade convincente, ainda que dissociadas de qualquer denominação.

E o João Silvino da Conceição arrematava, com uma didática que o faz sempre ser ouvido com atenção: “Atualmente não se deve deixar para depois o que se pode fazer agora. Protelar ou se omitir é lavar as mãos de modo acomodatício, favorecendo a zoeira de minorias sectárias, dos mais diferenciados tipos, curtas de inteligência histórica mas possuidoras de criatividade cênica. Todas elas buscando seus quinze minutos de fama, para aparecer num noticiário qualquer”.

Ressaltava ele a importância de se estruturar por aqui uma profissionalidade efetiva, mostrando um jornal do sul do país que alardeava na primeira página da sua edição dominical: “Países ricos fazem oferta de mão de obra para o Brasil”. Sinais dos tempos.

(Publicado no Jornal do Commercio, Recife, Pernambuco, 21.09.2011)
Fernando Antônio Gonçalves

 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA