facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
JORNADA ÉPICA EM QUADRINHOS

Há muito tempo não compulsava uma revista em quadrinhos. Na juventude, Ginásio São Luís, Maristas, tinha folheado Carlos Zéfiro, quadrinhos em preto-e-branco que ampliavam imaginações e exercícios manuais às escondidas de pais e diretoria. Além de Mandrake, Roy Rogers e Cavaleiro Negro, para não falar do Pato Donald e do Mickey, ambos coloridos, que divertiam grandes e pequenos, de todos os gêneros.
 
Hoje, a simpatia pelas HQ’s é planetária, sendo consideradas excelentes facilitadoras de transmissão de conhecimentos, científicos e humanos, eruditos e populares. E pornográficos também. São de fácil acesso os hentais, quadrinhos que já existiam no Japão desde o Período Edo (1600-1870), versando sobre variados temas, inclusive sexo e nudez. As gravuras eróticas, conhecidas como shunga, eram oferecidas como presentes de casamento para servirem de inspiração na lua-de-mel. Com a chegada da cultura ocidental, com suas barreiras morais à nudez, o shunga entrou em declínio, muito embora a pornografia perdure sob formas não muito camufladas.
 
Os quadrinhos facilitam a assimilação de ideias, fortalecem apreensibilidades, disseminam criatividades e ensejam até compreensão de filosofias eruditas. E a editora Martins Fontes acaba de realizar gol de placa ao lançar para a comunidade lusófona o livro em quadrinhos Logicomix – Uma jornada épica em busca da verdade, de Apostolos Doxiadis e Christos Papamitriou, um romance histórico e uma introdução bastante acessível às ideias mais divulgadas da Matemática e da Filosofia, vivenciadas por Bertrand Russell, um obcecado pela busca da verdade.
 
Diz a orelha do livro: “Investigativo e engenhosamente organizado, o livro lança luz sobre os conflitos íntimos de Russell e os coloca no contexto das perguntas atemporais que ele passou sua vida inteira tentando responder. Logicomix é, no fundo, uma história sobre o conflito entre uma racionalidade ideal e o tecido invariável e imperfeito da realidade”.
 
Encomendei o livro, não me arrependendo até hoje, a partir de comentários sedutores: “A Matemática nunca foi tão empolgante” ... “Além de biografia de Bertrand Russell, é um vibrante romance histórico” ... “Um livro sobre ideias, paixões, loucuras. Mostra a vida de grandes matemáticos – Russell, Whitehead, Frege, Cantor, Hilbert – no momento em que tentavam tornar exatos, coerentes e definitivos os fundamentos da Matemática” ... “Incrivelmente original, é um encontro rico e fascinante com mitos, Matemática, teatro e os grandes nomes da Filosofia do século XX” ... “A melhor história em quadrinhos que já li e a mais inusitada” ... “Sem dúvida uma das mais marcantes combinações de arte pop e história que encontrei tanto em prosa como em quadrinhos”.
 
Os dois autores – Apostolos Doxiadis, australiano, pioneiro no estudo da interação entre Matemática e narrativa ficcional, e Christos Papadimitriou, grego, professor de Berkeley, Califórnia, sendo um emérito pesquisador sobre complexidade computacional e teoria algorítmica – apresentam, ao final do livro, um anexo, onde explicam as diretrizes adotadas, os detalhes factuais e as “envolvências criativas” utilizadas, sempre ressaltando que “a não ser a simplificação necessária para a criação de uma narrativa como esta, não tomamos nenhuma liberdade em relação ao conteúdo da grande aventura do personagem que compõe o nosso enredo, nem em relação a seus conceitos nem – e principalmente – em relação às dificuldades existenciais e emocionais inerentes a ela”. Além disso, são acrescentadas notas, que embora desnecessárias para o entendimento do livro, podem ser de muita utilidade para os interessados sobre fatos e feitos, pesquisas e pessoas.
 
Um excelente manual para universitários de Iniciação Científica, que buscam ir além das quatro operações aritméticas e sair da Caverna de Platão, desejosos de fazer a história dos amanhãs brasileiros.
 
(Jornal do Commercio, 11.08.2010)
Fernando Antônio Gonçalves
 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA