facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
FÁBULA PARA OS TEMPOS ELEITORAIS QUE SE APROXIMAM.
A Lucimary Landim, amiga muito querida, Terrinha para os mais achegados ao seu mundo, costuma dividir seu tempo existencial em três grandes momentos: o tempo profissional, com dedicação ímpar às missões que lhe são conferidas; o tempo de folia carnavalesca, desde quando, com poucos meses de nascida, resolveu ensaiar uns passinhos de frevo, hoje sendo considerada a maior “tarada” em folguedos momescos, incluindo até os fora de época, daqui e d’além Pernambuco; e o tempo de ser uma pessoa dedicada à meditação transcendental, de guru e tudo o mais a que tem direito, encantando seus amigos e admiradores com ensinamentos que energizam e provocam reconversões periódicas de muitos ao gênero humano.

Entre seus diversos tempos, costuma a Terrinha brindar seus derredores com “pérolas” ouvidas quando de seus múltiplos contatos com animais das mais variadas espécies. E uma das suas últimas, uma das melhores diga-se de passagem, foi enviada diretamente de uma churrascaria de muito bom gosto ambiental da Zona Sul da capital pernambucana. Ei-la, com toda criatividade, com as concordâncias gramaticais emanadas do QI alto da Terrinha, reproduzidas aqui por absoluto respeito aos sagazes leitores da Besta Fubana:

Um formiguinho, franzino acima da média, afogava-se num lago de pouca profundidade, muito embora para ele mais que abismal, quando vislumbra um baita paquiderme passeando bem perto da margem direita.

- Elefante, socorra-me!! Estou me afogando!!!!

- Formiguinho querido, eu não estou conseguindo lhe alcançar! O que devo fazer??

Num raciocínio mais que rápido, sem qualquer preconceito sexual, o formiguinho estruturou seu processo salvatório:

- O lago não é profundo. Entre nele e quando chegar perto de mim, bem em cima de mim, estique seu pinto, imaginando-se nos braços de uma elefoa bem boa, que eu me segurarei nele.

- Não vais ficar encabulado, formiguinho?

- De jeito algum, seu babaca!! Ande logo, senão eu me lasco todo!

O elefante seguiu rigorosamente as orientações do formiguinho. E foi um sucesso o salvamento daquele animalzinho tão trabalhador. Com direito até a foto em primeira página do jornal local A Selva, editado pela Bicho’s University, famosa mundialmente pelos seus dinossauros catedráticos.

Passado algum tempo, eis que o formiguinho sofre mais um bafejo da sorte. Ganha na sena, no lá e no lô, ficando pra lá de bem situado na sua cidade, abandonando até um antigo sonho, o de fazer concurso para professor de ensino superior. Com a bolada, comprou um baita BMW, óculos escuros, celular e umas meninas que gostariam de naufragar no Titanic nos braços daquele galã capaz de arrepiar orgasmicamente adolescentes taradinhas, pré  frequentadoras dos mais altos meretrícios.

Todo pimpão, eis que, uma tarde, passando pelo outro lado do local do seu acidente, o formiguinho deparou-se com uma situação absolutamente inversa. O amigo elefante, já quase sem fôlego, afogava-se numa parte profunda do lago, gritando desesperadamente por socorro:

- Socorro!! Me acudam!! Tou me afundando!!! SOS !!!!

A formiguinha, plenamente consciente do tamanho do seu pipiu, mais uma vez aplicou estratégia vitoriosa: da mala do BMW retirou um cabo de aço, atrelou-o ao paralama traseiro, atirando a ponta contrária na direção do pobre paquiderme com a ajuda de uma transeunte, que já despendia seus últimos esforços sobrevivenciais.

Mais uma vez nas manchetes dos jornais da selva, o formiguinho foi entrevistado por um ratinho falastrão metido a popular. Microfone em punho,  sem titubeios, forneceu a moral do acontecimento recentemente noticiado pela mídia: Quem tem BMW não necessita de pinto grande.

Me disseram que aquele formiguinho tá paquerando cada égua de coxas roliças.... E a Terrinha, sempre alegre e bem disposta, continua espalhando suas historinhas pelos quatro cantos do Nordeste, aprofundando suas meditações e preparando seu título de eleitor para as eleições de outubro próximo, quando se renovará seguramente o cenário social brasileiro, independentemente dos pintos de cada um.

(Publicado em 19.03.2018 no site do Jornal da Besta Fubana (www.luizberto.com) e em nosso site www.fernandogoncalves.pro.br)  

Fernando Antônio Gonçalves

 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA