facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
EXTRAÇÕES DE ARQUIVOS
Revendo pastas e documentos, encontro reflexões feitas em alguns ontens que parecem continuar exigindo mais criatividade, competência e compromisso dos atuais dirigentes públicos e empresariais, alguns deles atrás das grandes por imaginarem eterna a impunidade para engravatados de sobrenomes estrambóticos. Para os leitores fubânicos, explicito alguns “recados” encontrados em alguns teréns arquivados:
 
1. O propósito da vida é sobreviver para com dignidade conquistar, evitar tensões desnecessárias, saber perder para ganhar posteriormente, sacudindo a poeira e dando a volta por cima, para desesperança daqueles que, de alma pequena, jamais chegarão à Pasárgada do pernambucaníssimo Manuel Bandeira.
 
2. Vivemos na era das pulhas as mais diferenciadas. Que independem de  sistemas econômicos, escolaridade e renda, raça e religião, sexo e ideologia. Ilude-se hoje abertamente, utilizando os mais diferenciados meios e métodos de enganação, da praça pública à televisão a cabo, passando pela Internet, universidades e organizações não governamentais, algumas delas descaradamente neogovernamentais. Vitimando os abestados de sempre, os  assaltados pelos que buscam levar vantagem em tudo. Os filhos da pulha são os enganados, posto que distanciados de ambientes criativos e críticos, republicanos por derradeiro.
 
3. As economias como a brasileira enfrentarão prolongadas estagnações se não incrementarem a produtividade na área do conhecimento, sobretudo do setor humanístico. Elas não sobreviverão aos mais elementares obstáculos epistemológicos se não desenvolverem uma agressiva política cultural, erudita e popular, a primeira nunca debilóide, a segunda jamais com objetivos eleitoreiros.
 
4. Muitos executivos brasileiros, de instituições públicas e privadas, ainda não perceberam que suas áreas de comando se encontram em processo de irreversível decomposição. Por não atentarem, eles e seus subordinados, que o trabalho se despojou de uma simples materialidade, tornando-se polo gerador de um paradigma onde despontam a criatividade, a parceria, a flexibilidade, a versatilidade e a capacidade de desaprender para reaprender com mais contemporaneidade.
 
5. Miguel de Cervantes, o pai do Dom Quixote, proclamava que “não há amizade, parentesco, qualidade, nem grandeza que possam enfrentar o rigor da inveja”. Uma tese potencialmente superável, se efetivamente vivenciadas algumas diretrizes comportamentais: 1. Leve em consideração que grandes amores e novas conquistas envolvem grandes riscos; 2. Quando perder, não perca a lição; 3. Observe cotidianamente três R's: Respeito a si mesmo, Respeito aos outros e Responsabilidade por todas as suas ações; 4. Lembre-se que não conseguir o que você quer é algumas vezes um grande lance de sorte; 5. Aprenda as regras de modo a saber quebrá-las da maneira mais apropriada; 6. Não deixe uma disputa por questões menores ferir uma grande amizade; 7. Quando perceber que cometeu um erro, tome providências imediatas para corrigi-lo; 8. Passe algum tempo sozinho todos os dias; 9. Abra seus braços para as mudanças, sem abrir mão de seus valores permanentes; 10. Lembre-se que o silêncio é algumas vezes a melhor resposta; 11. Viva uma vida boa e honrada. Assim, quando ficar mais velho e pensar no passado, poderá obter prazer uma segunda vez; 12. Uma atmosfera de amor em seu ambiente é fundamental para a vida; 13. Em discordância com entes queridos, trate apenas da situação corrente, sem levantar questões passadas; 14. Compartilhe amplamente o seu conhecimento, uma maneira de alcançar a imortalidade; 15. Seja gentil para com a terra.
 
6. Apontamentos encontrados num caderno do João Silvino da Conceição: “Não me sinto obrigado a acreditar que o mesmo Deus que nos dotou de razão e inteligência queira que nós nos esqueçamos de seu uso”. "Se chiar resolvesse, sal de frutas não morria afogado”. “Quando uma porta se fecha, outra se abre; acontece que olhamos tanto tempo para a porta fechada que deixamos de ver aquela que se abriu”. "Seja legal para com seus filhos. São eles que vão escolher seu asilo”. “Acreditar em algo e não vivê-lo é desonesto”."Para quem tem olho gordo, colírio diet”. “A velocidade é útil somente se você estiver correndo na direção certa”. "Quem dá aos pobres, tem que pagar o motel”. “Tolo é aquele que naufragou seus navios duas vezes e continua culpando o mar.” "Se o amor é cego o negócio é apalpar”. "Para evitar filhos, transe com a cunhada - só nascem sobrinhos." “Opinião é feito cu, cada um tem o seu”.
 
7. Enxugar o Estado para melhor agilizá-lo, eliminar o voto obrigatório, reagrupar as agremiações partidárias, boa educação e saúde para todos, erradicação da impunidade e da economia de especulação, redução do fosso comunitário entre norte e sul e reestruturação agrária consistente, eis um receituário estratégico mínimo, sob pena de se inventar, breve , um outro significado para desenvolvimento.
 
8. Eis algumas fórmulas “importantes”, pressupondo que é o assalariado que  está gastando muito, necessitando fazer o seu salário render mais: 1. Acorde tarde, para não precisar tomar o café da manhã, e durma bem cedo para dispensar a janta; 2. Na hora do almoço, escolha um parente para visitar, elegendo também amigos, se os aparentados forem poucos; 3. Se os seus parentes e amigos tiverem a mesma ideia e começarem a também querer filar a boia da sua casa, finja uma doença contagiosa, evitando qualquer aproximação; 4. Comece a fumar cigarros apagados, pois assim uma carteira durará mais de ano; 5. Na hora de pegar um ônibus, pergunte se ele vai para Seropeba, antes de passar na roleta. Perguntado onde fica, informe que o bairro se localiza depois de Queribimba. Descendo e subindo dos ônibus, você chega onde quer. 6. Lave e reutilize seus palitos de dentes, elaborados artesanalmente a partir de fósforos queimados; 7. Se alguém na sua casa ficar doente, use o poder da mente, absolutamente gratuito; 8. Junte as raspas de seus sabonetes, para fazer um novo depois, pelo método agregativo; 9. Saia com os amigos e diga, na hora do pega pra pagar, que esqueceu a carteira em casa ou que não tem trocado; 10. Quando seus amigos começarem a desconfiar que você não paga nunca, deixe umas notas amassadas sobre a mesa e saia apressado, dizendo que esqueceu que tem que ajudar a avó a tomar um remédio. Perceberão depois que são notas fora de circulação; 11. Economize revista. Leia as da barbearia mais próxima, fingindo que vai cortar cabelo ou que está esperando alguém.
 
9. Cidadaniza bastante ler, diariamente, ao acordar, a frase de Bertolt Brecht: “O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio”. 
 
10. Sacanagem com a Petrobras deveria ser considerada crime hediondo.
 
No mais, é abraçar carinhosamente o meu amigo querido João Silvino da Conceição pelas suas reflexões, inclusive a última, revelada semana passada: “Somente os que imaginam que os fins justificam os meios, possuem a certeza de que “pimenta no fiofó dos outros é refresco”. E que mandioca na mão nunca foi vendaval. Nem produto venal.
 
(Publicado em 13.07.2015, no site do Jornal da Besta Fubana – www.luizberto.com)
Fernando Antônio Gonçalves 
 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA