facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
DO BIG BANG AO HOJE EM EXPANSÃO!
Convidado por uma associação comunitária, travei recentemente um papo prá lá de interessante com cento e tantos jovens que estavam inscritos no seminário Despertando para a Vida, a caminho do vestibular 2013. E quase todos eles ficaram espantados quando souberam que, se o universo tivesse começado há 13 anos, no dia de hoje a Terra existiria há 5 anos, os grandes organismos com muitas células existiriam há 7 meses, os asteróides que mataram os dinossauros teriam colidido há 3 semanas, os hominídios existiriam há apenas 3 dias, o homo sapiens existiria há 53 minutos, as sociedades agrícolas existiriam há 5 minutos, toda história da civilização existiria há 3 minutos e as sociedades industriais modernas concretizaram-se há apenas 6 segundos. E os cinco mil anos da história humana não passavam mais que um milionésimo da vida da Terra. E que tudo tinha começado a partir da explosão de um ponto do tamanho de um átomo.

Diante das curiosidades manifestadas por inúmeros adolescentes, disse-lhes mais: que alguma mutação ocorreu num macaco ancestral, há 7 milhões de anos, favorecendo o surgimento dos macacos bípedes, as mutações continuando em evolução até o surgimento do moderno Homo sapiens, estes surgindo entre 250 mil e 130 mil anos atrás, em alguma parte do leste da África.

Foi então que uma adolescente, namorada de um pré-vestibulando, perguntou se eu tinha religião. E eu lhe disse que acreditava num Ser Superior, uma Energia Primeira, mas que fazia uma diferença significativa entre religião e espiritualidade. E explicitei as diferenças, através de um escrito que tinha apanhado na casa de uma antropóloga amiga: “A religião não é apenas uma, são centenas, milhares, a espiritualidade é apenas uma; a religião é para os que dormem, a espiritualidade é para os que estão despertos; a religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados, a espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior; a religião tem um conjunto de regras dogmáticas, a espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo; a religião ameaça e amedronta, a espiritualidade lhe dá Paz Interior; a religião fala de pecado e culpa, a espiritualidade lhe diz ‘aprenda com com o erro’; a religião reprime tudo, te faz falso, a espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro!; a religião não é Deus, a espiritualidade é Tudo e, portanto, é Deus; a religião inventa, a espiritualidade descobre; a religião não indaga nem questiona, a espiritualidade questiona tudo; a religião é humana, é uma organização com regras, a espiritualidade é Divina, sem regras; a religião é causa de divisões, a espiritualidade é causa de União; a religião lhe busca para que acredite, a espiritualidade você tem que buscá-la; a religião segue os preceitos de livros sagrados, a espiritualidade busca o sagrado em todos os livros; a religião se alimenta do medo, a espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé; a religião faz viver no pensamento, a espiritualidade faz Viver na Consciência; a religião se ocupa com fazer, a espiritualidade se ocupa com Ser; a religião alimenta o ego, a espiritualidade nos faz transcender; a  religião nos faz renunciar ao mundo, a espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele; a  religião é adoração, a espiritualidade é meditação; a religião sonha com a glória e o paraíso, a  espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora; a religião vive no passado e no futuro, a espiritualidade vive no presente; a religião enclausura nossa memória, a espiritualidade liberta nossa Consciência; a religião crê na vida eterna, a espiritualidade nos faz consciente da vida eterna; a religião promete para depois da morte, a espiritualidade nos faz encontrar Deus em nosso interior durante a vida.”

Também distribuí um trecho de Dietrich Bonhoeffer, cristão que foi assassinado pelos nazistas. Que vai ser mote para um próximo papo, depois da Semana Santa: “nossa maioridade nos conduz a um verdadeiro reconhecimento de nossa situação diante de Deus. Deus quer que saibamos que devemos viver como quem administra sua vida sem ele. O Deus que está conosco é aquele que deserta de nós. O Deus que nos permite viver no mundo sem a hipótese funcional de Deus é aquele diante do qual permanecemos continuamente. Diante de Deus e com Deus, vivemos sem ele”. 

Ao final da tarde, perguntei a todos se desejavam crescer como pessoa e como profissional, auxiliando o seu derredor e Pernambuco como um todo. Os aplausos entusiasmantes confirmaram a vontade férrea de uma juventude em buscar seu lugar ao sol, agigantando-se cada um na sua crença religiosa, mas sempre percebendo a importância do conhecimento, para fortalecimento de uma profissionalidade cidadã, aquela que sabe fazer a hora sem esperar acontecer, sob as bênçãos do Homão da Galileia, Irmão Libertador, um transreligioso por natureza e missão. Que antecipava o que diria, muito tempo depois, Santa Catarina de Gênova: “Meu eu é Deus”.
_____________________________________________________________
Fernando Antônio Gonçalves é professor universitário e pesquisador social.

(Publicada em 28.05.2012, no Jornal da Besta Fubana, Recife, Pernambuco.
Fernando Antônio Gonçalves

 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA