facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
CONHECIMENTOS DIÁRIOS
Foto do radialista Geraldo Freire lendo ampliou a curiosidade de analisar o livro 365 dias que mudaram o mundo, editora Planeta e traduzido por Mariana Marcoantonio. E não me arrependi ao adquirir um exemplar, “que conta com milhões de telespectadores em vários países do mundo para compreender o passado de forma acessível, fácil e divertida”.
 
Por lazer, resolvi verificar o que tinha acontecido em quatro datas para mim bastante significativas: nascimento do meu pai (13/08), nascimento da minha filha Ana Carolina (14/07), minha primeira eucaristia (08/12) e o aniversário da Rejane (19/09), com quem hoje compartilho muitas alegrias e  desafios cotidianos.
 
Num 13 de agosto, ano 1961, foi iniciada a construção do Muro de Berlim, que dividia Berlim, indignando o mundo inteiro e desacreditando mais os posicionamento soviéticos, se convertendo num símbolo cruel da Guerra Fria e da opressão comunista. Inicialmente, a divisão foi estabelecida através de uma cerca de arame farpado e postes de madeiras, “que logo se transformou em um muro de cimento de 5 metros de altura, coroado com arames farpados e vigiados por torres de vigilância, ninhos de metralhadoras e minas”. As fortificações se estendiam por 120 quilômetros. Entre 1961 e 1989, cerca de 5 mil pessoas conseguiram atravessar o muro, com um número similar de capturados e 191 mortos. Diz o livro que a queda do muro, em 9 de novembro de 1989, o maior ícone da Guerra Fria, “é um dos momentos-chave da história do século XX”.
 
A Queda da Bastilha, em 14 de julho, no também dia do nascimento da Ana Carolina, apelidada logo pelos amigos e parentes de “Bastilhinha”, se encontra num capítulo especial de todo documentário sobre a Revolução Francesa de 1789. Para se ter uma ideia, o livro esclarece: “a tomada da Bastilha não representou uma grande conquista político-social, mas foi suficiente para se constituir em símbolo dos revolucionários contra a opressão e o despotismo do Antigo Regime.”
 
Em Fortaleza, Ceará, aconteceu num 8 de dezembro a minha primeira eucaristia. Lamentavelmente, trinta anos depois, em 1980, John Lennon era assassinado por Mark David Chapman, um envolvido com drogas. A leitura do livro de J.D. Salinger O Apanhador no Campo de Centeio teria convulsionado a mente de Chapman. Ele cumpre pena de prisão perpétua em Attica, Nova York, tendo pedidos de liberdade condicional negados através dos anos.
 
No dia da Rejane, em 1783, aconteceu o primeiro voo tripulado de um balão, sob a batuta dos irmãos Joseph-Michel e Jacques-Étienne Montgolfier. Bem antes do voo tripulado pelos irmãos, o padre Bartolomeu Lourenço de Gusmão, “o Padre Voador”, já havia patenteado “um instrumento para se andar pelo ar”.
 
Leitura de cada manhã, para apreender um cadinho mais, no dizer da amada Lette.
 
(Publicada em 24.10.2015, no Jornal do Commercio, Recife, Pernambuco
Fernando Antônio Gonçalves
 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA