facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
ANOTAÇÕES NSPC
O João Silvino da Conceição, almoçando comigo no restaurante-escola do SENAC, que é referência nacional em comida-delícia, me mostrou suas anotações NSPC (Nem Sempre Politicamente Corretas), rodeado de companheiros de caminhada, adeptos convictos de louríssimas bem geladas com bolinhos de bacalhau aos sábados, no Mercado da Encruzilhada.

Eis as mais aplaudidas pelo grupo comandado pelo Picadura, um físico gaiato pra lá de inteligente, amigo do Fenando Sardinha, tempos de Salesiano, que proclama ter sido mais feliz quando seu apelido era desmembrado em duas palavras, de utilidade bem mais gozativa.

1. A eternização do padre belga José Comblin, em 27 de março próximo passado, Bahia, deve  ter causado geral alívio na cúpula do Vaticano, sempre por ele criticada, principalmente depois daquela fala na I Jornada Teológica do Recife, em 1988: “Teria sido impossível que a totalidade dos bispos latino-americano tivesse feito ‘opção pelos pobres’. A Igreja Católica, pelo menos desde o século 14, sempre fez opção pelos ricos e poderosos. Na América Latina, pelo menos desde1550, a Igreja fez opção total e incondicional pelas elites dirigentes”. Uma denúncia que se fez novamente presente na reportagem publicada no Jornal do Commercio em 30 de abril último, da lavra da jornalista Cláudia Vasconcelos, sobre a Teologia da Enxada. Ensinamentos que orientam trabalhadores diante da opressão emanada do latifúndio e do mandonismo coronelístico nordestinos.

2. Para não resvalar para idiotices várias, imaginando-se estar por dentro da canoa 21, uma leitura é recomendável: o texto Negros são Afros?, do historiador e escritor Joel Rufino dos Santos, publicado na muito apreciada revista Caros Amigos, leitura para quem deseja se tornar cada vez mais antenadamente brasileiro, sem xenofobias cretinas nem alucinações fundamentalistas. Ele diz com objetividade: “A palavra afrodescendente é verossímel e aceitável. Mas há um problema. A África e o Brasil mudaram muito desde que existem. E se, ao invés de nos atermos a certos valores e hábitos, quisermos realçar o que mudou? Talvez, então, seja preferível a palavra da geração anterior: negros.”  

3. Os promotores cerimoniáticos da beatificação de João Paulo II, sob o apoio da Opus Dei e dos seus setores marqueteiros, anseiam pela melhoria da imagem do atual chefe da Igreja Romana, uma arguta inteligência explicitada nos livros e uma desempatia assustadora, visivelmente percebida através do seu olhar sinistroso, até parecendo maquiavélico em algumas ocasiões. Para evitar o declínio continuado do Catolicismo no mundo, de muito proveito para suas lideranças seria debruçar-se sobre O Futuro de Deus – Ética, Religião e Espiritualidade na Nova Ordem Mundial, de Adjiedj Bakas e Minne Buwalda, editora A Girafa, 2011. Lá se encontram as megatendências relacionadas ao futuro de Deus: a. Individualização da religião e cenário religioso multiforme; b. Novas ortodoxias e politização da religião; c. Comercialização da religião e midiatização de Deus; d. Ascensão do Deus Verde; e. Mercado crescente de crenças apocalípticas e desenvolvimento de consciências mais elevadas; f. Deslocamento do foco da doutrina religiosa para a experiência religiosa; g. Influência de superpotências multiculturais sobre religiões e ascensão do moralismo. Em época de crise econômica (2008 foi a quinta dos últimos 200 anos), religiosidade e espiritualidade são intensificadas, para os desatentos que imaginam ter o mundo ficado grande demais, obscuro e caótico, ninguém mais podendo salvá-lo, só o Divino.

4. Diferentemente das mães ocidentais, um contingente possuidor de posicionamentos pseudamente educativos, uma intelectual chinesa põe fé em algumas diretrizes benéficas para a caminhada vitoriosa dos pimpolhos: a. Os deveres escolares são sempre prioritários; b. Um A-menos é uma nota ruim; c. Os filhos devem estar dois anos à frente dos colegas de turma em matemática; d. Os filhos jamais devem ser elogiados em público; e. Se um filho discordar de um professor ou treinador, a mãe sempre deverá tomar partido do professor ou do treinador; f. As únicas atividades que seus filhos deveriam ter permissão de praticar são aquelas em que pudessem ganhar uma medalha; g. Toda medalha deve ser de ouro. Para maiores entendimentos, aconselha-se a leitura de Grito de Guerra da Mãe Tigre, de Amy Chua, catedrática  da Escola de Direito da Universidade de Yale, EUA. Um livro intensamente desabilolante. Que bem reflete aquele ditado muito brasileiro: Fazer é fácil, basta introduzir. Para obtenção da Cidadania e da Profissionalidade tem que saber ensinar a caminhar.

5. De parabéns a revista Carta Capital desta semana, pelo excelente texto Teologia do Espetáculo, do  jornalista Antônio Luiz M. da Costa. Com todas as letras, lá está escrito: “Trata-se de santificar não as virtudes de Wojtyla, mas a virada conservadora que ele promoveu”. Um mega-espetáculo para tentar frear a decadência e o esvaziamento da instituição vaticana. Com dessepultamento e tudo.

PS. Agraciado com a Comenda Científica Dr. Samuel Cunha Filho 2011, juntamente com o professor Paulo Muniz Lopes, diretor-presidente da ASCES – Associação Caruaruense de Ensino Superior, entre outros, agradeço aos a premiação aos dirigentes da Base para Lançamento de Foguetes Experimentais, em Bezerros, PE, iniciativa vitoriosa da pernambucana Dra. Rosaly Lopes, integrante do corpo técnico da NASA, Estados Unidos. Solenidade acontecida em 27 de abril último.

(Publicada em 02/05/2011, no Portal da Revista ALGOMAIS, Recife – PE)
Fernando Antônio Gonçalves
 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA