facebook
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
A ROSA BRANCA
Em 27 de julho de 1943, Thomas Mann, Prêmio Nobel de Literatura 1929, autor dos inesquecíveis A Montanha Mágica e Os Buddenbrooks, em um dos seus discursos antinazistas intitulados “Ouvintes alemães!”, gravados nos Estados Unidos, enviados para a Grã-Bretanha, onde a BBC transmitia para ouvintes na Alemanha, assim concluiu: “Corajosa e magnífica juventude! Vocês não terão morrido em vão, não serão esquecidos. Os nazistas erigiram monumentos para arruaceiros imundos e criminosos comuns. A revolução alemã, a verdadeira, vai derrubá-los e eternizará em seu lugar o nome daqueles que, quando a noite ainda cobria a Europa e a Alemanha, anunciaram: ‘Nasce uma nova fé na liberdade e na honra!”.
 
Mann estava se referindo aos integrantes da Rosa Branca, um grupo de estudantes da Universidade de Munique que contestavam o regime assassino de Adolfo Hitler através da distribuição de panfletos mimeografados (seis ao todo) nos porões da resistência. O grupo foi capturado e sumariamente condenado à morte em 1943.
 
A editora 34, em 2014, editou o livro A Rosa Branca, de autoria de Inge Scholl, onde ela narra a tomada de consciência dela e dos seus irmãos e amigos. Nascida em 1917, 11 de agosto, estudava na Universidade Munique quando tornou-se cada vez mais crítica do regime nazista assassino.  Em 1942, juntamente com seus irmãos Hans e Sophie, juntou-se aIn 1942 she joined with Hans Scholl , Sophie Scholl , Christoph Probst , Alexander Schmorell , Willi Graf and Jugen Wittenstein . Christoph Probst,Alexander Schmorell,Willi Graf e Jugen Wittenstein. to form the White Rose group. Kurt Huber , a philosophy teacher at the university, was also a member of the group. para formar o White Rose, integrando-se ao  grupo o professor de filosofia Kurt Huber.
 
 
 
The group decided to adopt the strategy of passive resistance that was being used by students fighting against racial discrimination in the United States . O grupo decidiu adotar a estratégia de resistência passiva que estava sendo usado por estudantes que lutavam contra a discriminação racial nos Estados Unidos. Os folhetos foram distribuídos, This included the publishing leaflets calling for the restoration of democracy and social justice.pedindo a restauração da democracia e da justiça social. These were distributed throughout central Germany and the Gestapo soon became aware of the group's activities. Foram lançados em toda região central da Alemanha, logo tendo chegado ao conhecimento da Gestapo.In Passive Resistance to National Socialism , published in 1943 the group explained the reasons why they had formed the White Rose group: "We want to try and show that everyone is in a position to contribute to the overthrow of the system. It can be done only by the cooperation of many convinced, energetic people - people who are agreed as to the means they must use. We have no great number of choices as to the means. The meaning and goal of passive resistance is to topple National Socialism, and in this struggle we must not recoil from our course, any action, whatever its nature. A victory of fascist Germany in this war would have immeasurable, frightful consequences."
 
 
 
Em Passive Resistance ao nacional-socialismo, publicado em 1943, o grupo explicou as razões pelas quais eles tinham formado o White Rose: "Queremos tentar mostrar que todos estão em condições de contribuir para a derrubada do sistema Isso pode ser feito apenas pela cooperação de muitas pessoas conscientes. ... Nós não temos um grande número de opções quanto aos meios. O significado e objetivo da resistência passiva é para derrubar o nacional-socialismo. Nesta luta não devemos recuar. A vitória da Alemanha fascista nesta guerra terá consequências imensuráveis, assustadoras ".
On 18th February, three members of the group, Sophie Scholl , Hans Scholl and Christoph Probst decided to abandon clandestine methods and openly distributed leaflets in the university.
No dia 18 de fevereiro, três membros do grupo, Sophie Scholl,Hans Scholl e Christoph Probst decidiram abandonar os métodos clandestinos e distribuíram folhetos abertamente na universidade. They were arrested and four days later the three comrades appeared before the People's Court judge, Roland Friesler . Eles foram presos e quatro dias depois compareceram perante um Tribunal Popular. Found guilty they were executed by guillotine a few hours later.Considerados culpados, foram executados na guilhotina algumas horas mais tarde.
Inge was eventually released and she married Otl Aicher.
Inge se casou com Otl Aicher. After the war Inge and Otl founded a school in the city of Ulm for adult education. Depois da guerra, Inge e Otl fundaram uma escola na cidade de Ulm para a educação de adultos. Inge was head of the school from 1946 to 1974. She also wrote a book about the White Rose group, Students Against Tyranny (1952). Inge foi chefe da escola de 1946 a 1974. Ela também escreveu um outro livro sobre o White Rose, intitulado Estudantes contra a tirania (1952).
In the 1980s Aicher-Scholl was a leading figure in the German peace movement and was heavily involved in the campaign against the stationing of US nuclear missiles in Germany.
Na década de 1980, o casal Aicher-Scholl ainda liderou movimento pacifista alemão contra o armazenamento de mísseis nucleares norte-americanas na Alemanha. In 1985 she was arrested for taking part in a sit-in at the American Pershing II missile base in Mutlangen. Inge Aicher-Scholl died of cancer on 4th September, 1998.Inge Aicher-Scholl morreu de câncer em 04 de setembro de 1998.
 
Além do texto sobre A Rosa Branca, de Inge Scholl, o livro muito bem editado pela editora 34, já em segunda edição, ainda contém alguns anexos profundamente esclarecedores: vários panfletos, um texto sobre os objetivos de A Rosa Branca, a sentença do Tribunal do Povo, reações e manifestações de apoio, o rascunho do sétimo panfleto da Rosa Branca, de autoria de Christoph Probst, o discurso de defesa de Kurt Huber perante o Tribunal do Povo, um posfácio à edição brasileira de Rainer Hudermann (historiador alemão), além de uma apresentação da edição brasileira de Juliana P. Perez e Tinka Reichamann, ambas do Departamento de Letras da FFLCH, Universidade de São Paulo.
 
O massacre nazista, em suas diferenciadas manifestações, não pode se tornar um evento histórico concluído há 70 anos, com o suicídio do assassino-chefe do regime. Os esclarecimentos se tornam cada vez mais indispensáveis. O testemunho do professor Hudermann, escrito em 2013 para a edição brasileira, é significativo por derradeiro: “Mesmo em 2013, um professor da Universidade de Paris-Sorbonne pode constatar que, dentre os diferentes temas relacionados ao ‘Terceiro Reich’, o que suscita maior interesse dos alunos é a resistência alemã, pois a maioria deles nunca ou pouco ouviu falar do assunto antes de iniciar seus estudos acadêmicos”.
 
Num mundo consumistas, individualista por derradeiro, onde se busca desenfreadamente apenas a realização material, é preciso continuar divulgando as barbáries do regime assassino nazista, sem desconhecer, segundo o historiador William Nicholls, que “muitas medidas antissemitas da lei canônica medieval são reencontradas quase palavra por palavra na jurisdição nazista dos anos 30 do século passado.”
 
O mundo globalizado atual está a carecer de menos ignorância histórica e mais cidadania solidária militante. Antes que surjam maiores turbulências e incontáveis sofrimentos.
      
(Publicado em 23.11.2015, no site do Jornal da Besta Fubana – www.luizberto.com/sempreamatutar)
Fernando Antônio Gonçalves 
 

Site criado com o sistema Easysite Acadêmico da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA